de papo com claudinha

A nossa entrevistada de hoje acredita que a cadeira de rodas é apenas um detalhe na sua vida e que […] podemos tudo, basta querermos.E foi com essa ideia que ela se tornou em novembro de 2014, a primeira Miss cadeirante do Brasil.

Quer saber quem é ela? E como é possível uma cadeirante se tornar Miss Brasil? As respostas para essas e outras perguntas estão na entrevista abaixo:

MISS CADEIRANTE - CASADAPTADA

Quem é Caroline Marques?

Caroline Marques é uma mulher de 34 anos, residente em São Bernardo do Campo, que tem deveres e direitos como todo ser humano.  

Mãe, vaidosa, super consumista, que adora os animais, sempre alegre e sorridente, pois alegria abrem portas, de bem com a vida, apesar dos obstáculos que encontramos pela frente, sempre disposta ajudar o próximo e que nunca deixa os objetivos de lado. Esse é o resumo que faço do meu perfil.

Como foi o processo de redescobrir motivos para sorrir, após ter ficado paraplégica e perder o pai num acidente?

Foi difícil, pois a morte do meu pai doeu mais do que ter ficado em uma cadeira de rodas. Quando soube do falecimento, perdi o chão.

Porém estava em uma nova vida e com outra condição ” em uma cadeira de rodas”, aos nove anos de idade, aprendi que a cadeira era apenas um detalhe é que ela não me impossibilitava de fazer nada, bastava querer para fazer. Fui crescendo conseguindo fazer tudo sem limites. Busque a felicidade, seja feliz.

Fale um pouco sobre a agência de modelo da Kica de Castro e como você chegou até ela?

A agência Kica de Castro trabalha só com modelos com algum tipo de deficiência. É a primeira no país a trabalhar com esse mercado. Descobri a agência através do convite de uma amiga que já fazia parte do casting da agência, isso no final de 2007. Entrei em contato com a Kica, fiz os teste e passei.

Não acreditava que meu sonho de ser modelo iria finalmente ser realizado, pois desde pequena meu sonho era ser modelo, minhas brincadeiras de infância eram ficam na frente do espelho fazendo caras e bocas, desfilava para os amigos e familiares.

Chegando na agência, vi que não era mais uma brincadeira, mas a realização de um sonho. Depois de passar nos testes, me dediquei ainda mais a estudar moda, sempre melhorar a expressão corporal para desfiles e editoriais, a expressão corporal é muito importante para estar nesse segmento.

Como sempre fui muito vaidosa, então cuidar da minha aparência vem desde o berço, então meu cabelo, maquiagem e unhas na maioria das vezes sou eu mesmo que faço, isso é muito importante para quem é modelo, cuidar de si mesmo. Trabalhar com a própria imagem requer esses cuidados, que agência cobra de cada modelo do casting.

MISS CADEIRANTE - CAMARIM- CASADAPTADA

Quais os tipos de trabalho que você faz, como modelo?

Fiz vários trabalhos com a agência: desfiles, editoriais de moda, revistas, jornais, programas tv, editorial internacional. Sempre buscando a inclusão na moda e na publicidade.

Faço trabalhos voltados para pessoas com deficiência e também trabalhos com pessoas sem deficiência, o que é importante mostrar essa inclusão, que somos profissionais e podemos estar em trabalhos de igual para igual.

Sua vida mudou muito, após você ter sido nomeada como a primeira Miss Brasil Cadeirante?

Mudou bastante, tenho realizado vários trabalhos sociais, presença vip em muitos eventos, entrevistas, e as pessoas olham como uma nova formadora de opinião no universo da moda, muitos estudantes de moda estão entrando em contato para fazer pesquisa, sobre o chamado moda inclusiva, isso é importante, saber da pessoa com deficiência o que ela gosta para de fato colocar no mercado de consumo e não apenas participarem de concursos e depois deixar esse assunto de lado.

MISS CADEIRANTE - ARCOS DA LAPA- CASADAPTADA
Caroline Marques nos Arcos da Lapa

O reinado de uma Miss Brasil Cadeirante é igual ao de uma Miss Cadeirante sem Deficiência, ou há alguma diferença?

É a mesma coisa, não tem diferença nenhuma. O critério de avaliação, de ver a fotogenia, postura, comportamento, fator beleza, isso não muda. 

O título de miss é o sonho de qualquer modelo, chegar até aqui mostra que estamos no caminho certo, que a inclusão de fato esta acontecendo, falta pouco para pessoas com e sem deficiência competirem de igual para igual.

Quais os critérios para ser Miss Brasil Cadeirante?

O missologo avaliou: por medidas corporais, ser simpática, vaidosa, comunicativa, cuidar da aparência e saber se vestir bem.

Você enfrenta dificuldades para comprar roupas? Quais?

Depende do ponto de vista. Sou muito consumista e gosto de estar sempre na moda. Nas lojas tenho dificuldade de encontrar provadores que entre a cadeira de rodas, tenho que comprar a roupa e experimentar em casa.

Se não servir tenho que voltar a loja para trocar, muitas vezes não acho numeração maior ou menor, então como já comprei e as vezes não tem como trocar, acabo presenteando amigos ou alguém da família, muitas das roupas eu mesmo faço, agora encontrei uma costureira, perto de minha residência que faz algumas roupas, de acordo com o meu gosto e estilo.

MISS CADEIRANTE - ESTUDIO- CASADAPTADA

Qual sua opinião sobre moda inclusiva?

A pessoa com deficiência gosta de andar na moda, o chamado moda Inclusiva, e facilitar as roupas no despir e vestir, não gosto de roupas com velcro em tudo, amo bordado, pode ter só na parte da frente, são pequenas adaptações, mas que todo mundo possa usar, por exemplo uma gestante que precisa de roupas com elástico por um certo tempo, mulheres que estão amamentando, pessoas no pós operatório, então são roupas feitas por um “curto ” período, muitas as vezes não seguem as tendências da moda, sinceramente essa é minha opinião.

Preciso de uma roupa que me facilite, que não me machuque por ficar sentada, mas quero roupas bonitas, sofisticadas, e que não tenham o preço elevado, muitas das roupas que chamam de inclusiva são bem mais caras dos que as que não são,então prefiro comprar uma roupa que eu gosto, eu mesma faço as adaptações que preciso.

Isso quando não peço para a costureira fazer, levo o tecido que quero, o modelo e depois eu mesmo faço o bordado. Como cadeirante, não preciso de um bolso na parte de trás, mas quero que o bolso fique na lateral, de forma harmoniosa com o look.  

Mas esses detalhes também precisam ser inclusivos, que sirvam para todos, pois falar que esta fazendo moda inclusiva, acaba excluindo muitas pessoas e como mencionado acima, a inclusão é um todo.

Como surgiu o convite para ser apresentadora de um programa de TV?

Ser apresentadora de TV, foi uma grande surpresa, essas que a vida prepara para nós. A Kica de Castro, que vem anos e mais anos levantando a bandeira de incluir a pessoa com deficiência no mercado de trabalho me deu esse presente, confesso que era um sonho ter um programa, mas que não esperava realizar, pois a carreira de modelo, ser miss já foram coisas que realizei, juntamente com agência e agora mais um presente.

Tudo começou com um e-mail que Kica recebeu de um produtor da TV Cidade para dar uma entrevista sobre o trabalho realizado na agência.

Ela aceitou o convite e foi para entrevista levando as fotos, explicou sobre o trabalho que vem desenvolvendo nesses anos, por muita coincidência o apresentador ficou encantado com o trabalho e o mesmo é um dos donos da emissora, acabando a entrevista ele pediu para ela esperar uns 15 minutos, pois ele queria conversar mais sobre o assunto, nessa conversa ele deu de presente para agência um programa de TV.  

Kica aceitou o presente, mas deixando bem claro que ela não seria apresentadora, pois já que era para falar do universo da pessoa com deficiência, nada mais justo ter uma pessoa para apresentar que seja deficiente.

Ela fez a seleção de acordo com o perfil de cada modelo, viu quem tinha potencial de assumir o programa semanalmente, queria alguém comunicativo, espontâneo e que estivesse com vontade de aprender, afinal levar informação, ser uma formadora de opinião é um desafio, ela queria alguém bem espontânea e com vontade de aprender, tive a honra de ser escolhida para apresentar o Viver Eficiente, exibido na TV Cidade aos domingos às 14hs, canal 15 da NET região oeste de São Paulo, Canal 8 da cabonnet de Osasco, em tempo real pelo site da emissora: TV CIDADE NA NET e depois tem os links no youtube.

São três blocos de 8 minutos, em forma de bate papo com algum convidado que tenha algo para acrescentar no universo da pessoa com deficiência.

MIS CADEIRANTE - PROGRAMA VIVER EFICIENTE- CASADAPTADA

Quais seus planos para o futuro?

No futuro eu espero ter um mundo com mais acessibilidade, poder ir e vir com maior autonomia. A carreira de modelo, tem vida curta, então quero poder chegar na melhor idade e ver que o que fizemos hoje não foi em vão, que as pessoas são mais justas, que as inclusão seja para todos, sem preconceito, sem violência, que as leis possam ser cumpridas.  

Muito triste ver que é preciso fazer campanhas para o outro respeitar o seu direito, espero deixar para meu filho e os futuros netos um mundo melhor.

Que mensagem você deixa para os leitores do Casadaptada?

Nunca desistam de seus sonhos, podemos tudo basta querermos. Não somos diferentes de ninguém. Busque e alcance seus objetivos, a vida é uma escola estamos aqui para aprender. Errar faz parte. A vida é um show não podemos parar.

miss cadeirante - casadaptada - Carol

 

Make Up Andre Lima

Fotos: Kica de Castro

E aí, curtiu o post? Então compartilhe com os amigos. E não deixe de visitar a página do facebook da Carol

Quer falar comigo? Então me chama no instagran @casadaptada e/ou [email protected] 

ASSISTA AO PROGRAMA VIVER EFICIENTE TV NA CIDADE

FANPAGE VIVER EFICIENTE

PÁGINA DA CAROLINE

Bjos!