Oi , eu sou a Flay,

Gostaria de compartilhar a minha história com vocês.
Conheci o Alex ha quase 1 ano, mas ha 4 meses firmamos o namoro, somos opostos mas aprendemos todos os dias um com o outro. Eu o admiro muito e ele é minha inspiração e exemplo de força e superação.
“Ser namorada de um cadeirante pode parecer tarefa fácil, mas ser “A” namorada de um cadeirante traz algumas regrinhas.
Primeiro e mais óbvio: ame-o verdadeiramente, com seu coração.
Segundo: ame-o com seu pensamento.
Terceiro: ame-o com seu corpo.
Ser namorada de cadeirante é olhar para o lado e enxerga – lo na altura da sua cintura, o que não quer dizer que ele não possa ser MAIOR que você em muitas coisas. (E acredite, ele é!)
Ser namorada de cadeirante significa que você sempre estará preocupada com a tal
“acessibilidade” e essa palavra passará a fazer parte da sua rotina. E se prepare, você ficará raivosa quando perceber que a acessibilidade só existe nos projetos de lei e que, na prática, você e ele vão sempre ter que dar um jeitinho. (…)
Ser namorada de cadeirante é viver no desconhecido, porque por mais que você pergunte, leia, se informe, a verdade é que cada caso é um caso, e cada dia pode se apresentar diferente.
Ser namorada de cadeirante é passar a dar um valor inacreditável a lugares públicos com acessibilidade e também estar preparada caso não existam. E pra ser sincera, eles de fato não existem!
Ser namorada de cadeirante é entender que apesar dele passar o dia sentado, ele chega a noite exausto, porque seus esforços físicos demandam sempre mais energia e força.
Ser namorada de cadeirante é perceber a sutil diferença entre quando ele “precisa” que você o ajude e quando ele “não quer” que você o ajude.
Ser mulher de cadeirante é você se tornar uma “expert” em fazer trocas! Troca de rua, troca de bares, troca de calçada, troca de roupa, troca de gostos, trocar a rua por ficar de conchinha no melhor lugar do mundo: o abraço dele!
Ser namorada de cadeirante é você mudar o ritmo. Desparafusar o relógio. Mudar o passo ou o compasso. Fazer no tempo dele.
Ser namorada de cadeirante é você conviver com os olhares curiosos(…)
É ter vontade de saber lutar jiu – jitsu, pra se defender de tudo ou de todos. É aprender, na marra, a conviver com caras e bocas que você nunca antes tinha reparado.(…)
Ser namorada de cadeirante é acordar de manhã querendo fazer tudo outra vez.
É no dia em que você está sem ele, sai de casa sozinha…sentir um vazio enorme…um nó na garganta…que eu chamo de saudade, e alguém pode dizer que é amor.
Ser namorada de cadeirante é um exercício de entrega, generosidade, compreensão e parceria, e eu to aprendendo a cada dia.

View this post on Instagram

Yo te cielo

A post shared by Alex Brasileiro de Souza (@alex_brasileiro) on

Mais que isso…
Ser namorada de cadeirante é ser absurdamente feliz e realizada com essa dupla : ele e sua cadeira de rodas (…)
Ser mulher de cadeirante é acreditar que ele precisa de você, para só então compreender que é você quem precisa dele!”
(Texto adaptado, se me permitem o trocadilho da palavra, de C. Salgado )
Meu ig é @flay_palhares e do Alex é @alex_brasileiro.