Deficiente físico supera limitações em busca do sonho de entrar no livro dos recordes e levantar a bandeira da paz
 
Dar uma volta ao mundo é uma façanha por si só, mas fazer isso sem usar as pernas, parece praticamente impossível. Diagnosticado com paralisia infantil aos 5 anos, o venezuelano Ismael Oswaldo Morales Buenaño não deixou que limitações físicas o impedissem de realizar um sonho: entrar para o Livro Guinness dos Recordes.
 
Ismael largou o emprego como locutor de rádio, fez as malas e passou a explorar o mundo a bordo de um quadriciclo motorizado. O viajante, que agora visita Manaus, garante que já passou por mais de 115 países.
 
Originário da Ilha de Margarita, a nordeste de Caracas, o venezuelano começou a viagem pela Colômbia, já visitou todos os países da América do Sul e grande parte da Europa.
 
Ismael está na estrada há 5 anos e 10 meses e conta que a motivação para iniciar a jornada veio do momento político pelo qual a Venezuela passa. “Meu país passa por um momento de muita dificuldade e escassez. A violência tomou conta das nossas cidades. Não me sentia seguro lá”.
 
Ismael contou, também, que, além de entrar em contato com diferentes paisagens e culturas, a volta ao mundo é uma oportunidade de lutar pelos direitos humanos e motivar outros deficientes físicos a superarem dificuldades.
 
“Fico triste vendo tantas guerras hoje em dia. Viajar pelo mundo, conhecer pessoas e fazê-las abraçar a causa é a minha maior recompensa”, disse emocionado.
 
Apesar de não poder usar as pernas e depender da ajuda de uma muleta para ficar em pé, a maior dificuldade de Ismael para completar sua trajetória é a questão financeira.
 
“Dependo de patrocínio ou ajuda das pessoas que conheço nas viagens. Nem sempre consigo. Já tive que dormir na rua e passei fome diversas vezes, mas vou seguir em frente”.
 
Ismael saiu de Boa Vista, em Roraima, e percorreu 785 quilômetros até chegar a Manaus, na última sexta-feira, dirigindo o quadriciclo que usa para se locomover. Assim que conseguir ajuda financeira na capital amazonense, Ismael segue viagem para a América Central e América do Norte.
 
“Espero ficar aqui mais alguns dias e colher o máximo de ajuda possível. Estou viajando pelo Brasil há três meses e a população tem sido generosa comigo”.
 
Ismael está hospedado na Casa do Imigrante, espaço na zona centro-oeste de Manaus destinado a acolher imigrantes sem condições financeiras de pagar por moradia, e pede que interessados em ajudar façam uma visita ao local.
 
De acordo com estimativas do próprio viajante, a volta ao mundo deve acabar em, no máximo, três anos, completando um total de nove anos. A expectativa de Ismael é morar em algum país da Europa depois de completar a jornada.
 

 

GOSTOU? COMENTE! SEU COMENTÁRIO É MUITO IMPORTANTE PRA NÓS COMPARTILHE E ESPALHE A INCLUSÃO!

NEWSLETTER-730