Minha experiência em viagens ainda é pequena, mas maravilhosas, fiz algumas viagens de turismo e outras pelo blog, das quais falei no Casadaptada, Tive a incrível oportunidade de voltar a minha terra natal (Rio) durante as paralimpíadas onde pude desfrutar de espaços bem planejados, acessíveis e com design universal, uma verdade sempre bem dita:

“Se o lugar não está pronto para receber TODAS as pessoas, o lugar é deficiente”

Durante a Rio 2016, tive o prazer de visitar locais de excelente acessibilidade, como o Museu do Amanhã, Pão de Açúcar, Jardim Botânico, dentre outros, mas nem sempre encontramos locais assim, muita dificuldade desde a chegada, estacionamentos sem sinalização, falta de banheiros adaptados, mobilidade, espaços reduzidos, transporte rodoviário com cadeiras de transbordo (ou transtorno se preferir), elevadores quebrados, vejo uma melhora no transporte aéreo, uma preocupação maior nos detalhes e um melhor atendimento às pessoas com deficiência.


E assim deve ser no Turismo mesmo, o que era antes um diferencial, tornou-se obrigatório e inteligente economicamente, locais turísticos acessíveis, mas o que vemos são hotéis despreparados, locais com acesso somente através de escadas, ou com adaptações precárias e que não atendem as normas da ABNT de acessibilidade.

Segundo a conveção da ONU, a deficiência, que antes era entendida como um problema individual da pessoa, passa a ser vista como resultante das barreiras impostas pelo meio ambiente. A responsabilidade de prever e se ajustar à diversidade e às necessidades de cada indivíduo agora é da sociedade. Com isso, cabe aos governos e à sociedade em geral construir estruturas acessíveis e promover adaptações de modo a equiparar oportunidades e incluir o indivíduo com deficiência.

Torço para que mais empresas, governo e pessoas se empenhem em tornar seus espaços mais acessíveis, cada vez mais pessoas com deficiência viajam, se aventuram, levam seus acompanhantes, transformam a economia do país, afinal somos 43 milhões de deficientes.

Esse ano já tenho algumas viagens marcadas (CONGRESSO INTERNACIONAL DA INCLUSÃO, DE 19 A 20 DE MAIO DE 2017 (PORTO DE GALINHAS) ) e outras aventuras que desejo, como pular de para-quedas e voltar ao Rio, agora é cruzar os dedos.

LEIA TAMBÉM:

VISITA AO JARDIM BOTÂNICO E MUSEU DO MENGÃO

TETRA NO RIO 2 : MUSEU DO AMANHÃ E ARTE DO RIO

TETRA NO RIO 1 : PARALIMPÍADAS E PLANEJAMENTO

MEU “BATISMO” NO MERGULHO ADAPTADO

GOSTOU? COMENTE! SEU COMENTÁRIO É MUITO IMPORTANTE PRA NÓS COMPARTILHE E ESPALHE A INCLUSÃO!

NEWSLETTER-730